quarta-feira, 25 de março de 2015

Pré-Venda Autografado:Talco de Vidro, de Marcello Quintanilha



Seu trabalho anterior, Tungstênio, lançado em 2014 pela Veneta, foi considerado o melhor quadrinho do ano pelos jornais Estado de S. Paulo e O Globo e crítica especializada. O livro já teve seus direitos vendidos para Portugal, Espanha e França. Na Espanha, foi publicado pela La Cupula, uma das principais editoras de quadrinhos da Europa, e teve uma recepção entusiasmada da crítica, que o comparou a autores como James Elroy e Dashiell Hammett.
 
Em Talco de Vidro, Quintanilha cria um thriller psicológico a partir da crise existencial de Rosângela, uma dentista bem sucedida de Niterói. O encontro com sua prima, em uma consulta odontológica de rotina, traz à tona um emaranhado de emoções cujas consequências modificarão para sempre sua vida. As sensações e emoções da protagonista em meio a uma violenta crise existencial são o fio condutor da narrativa que conduzem a personagem em uma espiral de autodestruição até a beira da imoralidade e do crime.

O livro chega às livrarias brasileiras no mesmo mês em que o autor participa do Salão do Livro de Paris, consolidando seu espaço no meio literário. Após o evento na França, Quintanilha vem ao Brasil para promover o livro em uma turnê que inclui Curitiba (28/03), Salvador (02/04), Rio de Janeiro (07/04), Natal (09/04) e João Pessoa, na Comic House (11/04).


Título: Talco de Vidro
Autor: Marcello Quintanilha
164 páginas - Capa Dura
Formato: 17cm x 26 cm
R$ 59,90 



Quer adquirir a sua? Entre em contato!
Av. Nego, 255, Tambaú (João Pessoa-PB)
Telefone:(83) 3227 0656
E-mail:vendas@comichouse.com.br
Twitter: @Comic_House 

Previsão de envio: 15/04





terça-feira, 24 de março de 2015

Tungstênio, de Marcello Quintanilha






Ler ‘Tungstênio’, álbum do carioca Marcello Quintanilha, é receber uma senhora aula de narrativa para os quadrinhos, que só não é gratuita porque você precisa comprar o livro. Nas 184 páginas de história, acompanhamos uma ciranda frenética, que se espraia pelo espaço e pelo tempo, na qual se envolvem vários personagens durante uma simples ocorrência policial em Salvador, Bahia.

Durante um dia de sol na capital soteropolitana, um sargento reformado, seu Ney, e um pequeno traficante de drogas, Caju, flagram uma dupla usando explosivos para pescar, de olho na facilidade da manobra para conseguir o pescado. Pressionado por seu Ney, Caju é levado a chamar Richard, um policial do qual é informante, para dar um fim à atividade dos pescadores. Richard, por sua vez, é casado com Keira, mas o relacionamento deles está por um fio.

Há de ressaltar que Quintanilha é tanto desenhista quanto roteirista de seus álbuns, dominando os dois ofícios como poucos. Artista versátil, como se pode ver ao comparar seus diferentes trabalhos, em ‘Tungstênio’ ele aposta num traço naturalista, rico em detalhes, com preenchimentos em tons de cinza, que se apoia num tracejado grosseiro para ressaltar volumes e sombras.

Seus quadros não se conformam com as facilidades do plano médio, porém a variedade de enquadramentos dificilmente está ali para demonstrar algum virtuosismo: há uma relação direta com o ritmo e as necessidades da narrativa. Um dos vários momentos em que isso ocorre no álbum é no conflito entre Ney e Caju que provoca a entrada de Richard na história.

Num outro aspecto, temos as legendas, que habitualmente nos quadrinhos contemporâneos trazem a voz do narrador. Em Tungstênio, esse narrador não propriamente conduz ou apresenta os fatos, ele se instala na cabeça dos personagens, conversa com eles – e, muitas vezes, torna-se os personagens, assume a voz deles, fazendo com seja difícil para o leitor saber ao certo quem está presente naquele momento. Essa ‘polifonia’, como dizia Bakhtin, não é uma alquimia simples, apesar de Quintanilha nos fazer achar que sim.

Outro trunfo de Tungstênio está no texto, divididos em duas modalidades. Primeiro, temos os balões, com os diálogos dos personagens. Quintanilha busca, ao máximo, se aproximar do registro oral contemporâneo, da fala das ruas. Repetições, gírias, frases recheadas de elipses e interrupções, vale tudo para alcançar uma ‘naturalidade’ nos diálogos, um ritmo próximo ao de uma conversação. É uma aposta arriscada, que pode empobrecer o discurso construído, ou dificultar o entendimento do leitor, mas o autor evita essas armadilhas muito bem.

Basta esse fiapo de história, guiada por quatro pessoas comuns, envolvidas com os pequenos problemas cotidianos de cada um, para Quintanilha construir uma HQ envolvente, frenética, impossível de se largar a leitura.

Aí, temos o Quintanilha roteirista: uma história aparentemente tão banal envolve pessoas cheias de motivações e dramas que uma expressão facial, um plano-detalhe, ajudam a revelar. Outra boa sacada é fragmentar o desenvolvimento da narrativa, mesclando passado, presente e futuro, tempo narrativo e tempo psicológico, para, aos poucos, ir desnudando o que move cada um dos personagens. A própria capa do álbum meio que já antecipa para o leitor o desenvolvimento simultâneo de várias tramas. A hesitação de Keira entre deixar o marido ou ir ao seu encontro ilustra bem essa situação. Certamente, o leitor mais desatento precisará de mais de uma leitura para perceber essas nuances (eu precisei).

Além disso, a reprodução meticulosa do cenário arquitetônico de Salvador e o apuro na composição corporal e fisionômica dos personagens conferem uma tom realista que reforça a atmosfera de ‘vida real’ de suas histórias. Quintanilha não tem vergonha em explorar as possibilidades gráficas da linguagem dos quadrinhos: a expressividade das onomatopeias e dos balões se integra aos desenhos de tal forma que os sons em ‘Tungstênio’ são quase táteis. Um bom exemplo é quando os personagens discutem entre si, ou quando o autor retrata as explosões provocadas pelos pescadores.

Como disse um certo autor (cujo nome não vou lembrar), não existem histórias ruins, existem escritores ruins (ou algo parecido). Marcello Quintanilha, definitivamente, não é um escritor ruim. 



Título: Tungstênio
Autor: Marcello Quintanilha
84 páginas - Capa Dura
Formato: 17cm x 26 cm 
R$ 54,90



Quer adquirir a sua? Entre em contato!
Av. Nego, 255, Tambaú (João Pessoa-PB)
Telefone:(83) 3227 0656
E-mail:vendas@comichouse.com.br
Twitter: @Comic_House 




(Resenha publicada originalmente no site Posts do Exílio )

segunda-feira, 23 de março de 2015

Mangás com desconto progressivo na Comic House

 



Promoção até dia 25/03/15

Lobo Solitário #3, #4, #5, #6, #9, #10, #11 e #12 – R$ 12,90 cada
Sunkarea #1, #2 – R$ 11,90 cada
Beelzebud #7 e #9 – R$ 10,90 cada
Reborn! G # 6 – R$ 10,90
Triage X #6 – R$ 10,90
Blood Lad #5 e #7 – R$ 10,90 cada
Ga-Rei #10 e # 11 – R$ 10,90 cada
Claymore # 22 e # 24 – R$ 10,90 cada
Freezing #7, # 15, #17, # 21 – R$ 12,90 cada
The Gentleman Alliance #5, #7, #8, #10 – R$ 10,90 cada
Kekkaishi #6, #11 e #17 – R$ 10,90 cada
Toriko #3, #4 e #5 – R$ 10,90 cada
Deadman Wonderland #7 e #12 – R$ 10,90 cada
Kimi Ni Todoke #8, #18, #21, #22 – R$ 11,90 cada
Ataque dos Titãs #7, #8 – R$ 10,90 cada
Old Boy #3, #5, #7 e #8 – R$ 10,90 cada
07 Ghost #6 e 10 – R$ 10,90 cada
Sora No Otoshisimono #6 – R$ 10,90
Tempest – R$ 13,90
Doubt #1 e #2 – R$ 13,90 cada
Gate 7 #2 – R$ 12,90
Hitman #1, #2 e #3 – R$ 13,90 cada
Mar #12 – R$ 10,90
Black Bird #14 – R$ 9,90
Honey & Clover #7 e # 8 – R$ 9,90
Air Gear #13, #14, # 19, #20, #21 e #23 – R$ 10,90 cada
Trigun Maximum #6, #7, #10, #11 e # 12 – R$ 10,90
Megaman #2, #3, #4 e #5 – R$ 5,90
Hellsing #5 e #6 – R$ 5,90
Blue Dragon #1 – R$ 10,90
Princess Ai Rumores de outro mundo – R$ 9,99
Kill Dong #4 – R$ 10,90
Samurai Executor # 5 e #7 – R$ 14,90
CryFreeman #3 e #6 – R$ 9,50
Nightmare Make #2 – R$ 12,90
Dangu #6 e #9 – R$ 12,90
Eden #4, #6, #7, #8, #9 e #10 – R$ 4,00
Fairy Tail #22, #23, #29, #36 e #40 – R$ 11,90
Hiraku No Go #7, #8, #10, #15, #16, #17, #18, #21 e #22 – R$ 10,90
Bastard #15, #17, #19, #20, #21, #22 e #23 – R$ 10,90
Nana #4, #11, #12, #13, #14, #15 – R$ 10,90
Blue Exorcist #8 – R$ 10,90
O mito de Arata #4 – R$ 10,90
Ranma ½ #23, #24 e #29 – R$ 10,90
Peach Girl #5, #8, #13, #16, #17, #20, #21, #24 e #25 – R$ 5,50
Marmalade Boy #6 e #7 – R$ 10,90
Futari #3, #4, #5, #6 e #8 – R$ 5,90
Tarot Café #5 e #6 – R$ 10,00
O Tigre e o Dragão #7 – R$ 10,90
Tokyo Summer of the Dead #1 e #2 – R$ 10,90
Sunadokei #6 – R$ 9,90
Galism #2 – R$ 9,90
Paradise Kiss #4 - R$ 9,90
Kare Frist Love #10 – R$ 9,90
RG Veda 3 – R$ 10,90
Otomen #4 e #6 – R$ 9,90
Destino Cativo #4 – R$ 9,90
KareKano #4 – R$ 9,90
Brave #10 #5 – R$ 9,90
Astral Project 4 – R$ 10,90
Full Metal Sigma #1 e #6 – R$ 9,90
Eureka Seven #5 – R$ 9,90
Princess Princess #3 – R$ 9,90
Sugar Sugar Rune #4 – R$ 9,90
Assassination Classroom #3 e #4 – R$ 11,90
Cavaleiros do Zodíaco Next Dimension 4 – R$ 14,90
One Piece #9, #22, #26, #31, #34, #41, #47 e #48 – R$ 10,90
Love Hina(nova impressão) #1, #6, #7 e #8 – R$ 14,90
Bakuman #5, #7, #9 e #16 – R$ 10,90
Nura #2, #6, #8, #12, #13 e #18 – R$ 11,90
Guerreiras Mágicas(nova impressão) #1, #3, #4, #5 e 6 – R$ 16,90
Pokemon Black & White #1 – R$ 6,90
Highschool of the Dead # 3 e #4 – R$ 24,90
Yu Yu Hakusho(nova impressão) #1 e #3 – R$ 14,90
O senhor dos Espinhos #5 – R$ 12,90
Espírito de Culpa – R$ 13,90
Tom Sawyer – R$ 23,90
Dragon Ball #21, #21 e #33 – R$ 10,90
Vampire Knight #17 – R$ 10,50
O Homem de Várias Faces #1 e #2 – R$ 14,00(total)
Hush, Hush – R$ 19,90

Turnê de lançamentos de Talco de Vidro, nova hq de Marcello Quintanilha


quarta-feira, 18 de março de 2015

Sessão de Autógrafos "LoveCraft Eterno" com Alberto Pessoa, Alex de Souza e Coletivo K-Ótica





João Pessoa receberá os artistas potiguares do Coletivo K-Ótica, o jornalista e escritor Alex de Souza e o quadrinista e professor radicado em João Pessoa, Alberto Pessoa, no dia 21 de março, na Comic House, a partir das 16horas.

O Lovenomicon(140 páginas, R$ 40) é a primeira Novela Gráfica(ou "graphic novel") da parceria Jovens Escribas e K-ótica, fundando o selo "Ao Quadrado", dedicado à publicação de Quadrinhos. O trabalho flerta com o universo imaginativo do escritor americano H.P. Lovecraft, mas com uma roupagem Natalense, marca registrada dos quadrinistas do grupo.

Apresentando seis histórias, cada uma num sub-gênero de terror, o coletivo K-ótica, assina o trabalho a sete mãos (Marcos Guerra e Leander Moura, de "O Evangelho segundo o Sangue", Renato Medeiros e Rodrigo Xavier, de "Tempestade Mental", Mário Rasec, de "Os Black" e "Abismo", e ainda com Carlos Alberto e Marcos Garcia, debutando no grupo) além de contar com prefácios de vários autores convidados, como Rodrigo Hammer, Alex de Souza, Edgar Franco, Gian Danton, Matheus Moura e Léa Barbados, onde muito da obra, vida e legado do autor homenageado pode ser conferido.

A campanha de lançamento do projeto surpeendeu pela nova abordagem dos artistas, que espalhando notícias ficcionais (ou não?), tomaram de assalto as mídias sociais com recortes de jornal que lhes imputavam a mesma loucura e detalhes macabros que figuram em seus personagens, e tudo teria acontecido por terem iniciado o "amaldiçoado" Lovenomicon. Até mesmo uma série de fotos dos autores em camisas-de-força circula nos meios dos aficcionados pelo gênero.

Alberto Pessoa, assina a hq ”Medo”(56 páginas, R$ 15) que nos apresenta várias histórias que tramitam pelos elementos convencionais do gênero: o pacto com o diabo, o morto-vivo, as forças obscuras e sobrenaturais. As histórias de terror comumente gravitam esses temas clássicos, contudo Alberto o faz com insuspeitado toque de originalidade ao tangenciar de leve a obra de Colin, ao mesmo tempo referenciando-a e inovando no traço e no conteúdo. E também autografa o livro “Linguagem dos Quadrinhos”(80 páginas, R$ 20) que propõe a introdução ao estudo dos recursos de construção das histórias em quadrinhos, dos seus elementos, fala de seus autores, do seu contexto social e apresenta os gêneros para que os autores possam se expressar com múltiplas possibilidades dentro do contexto da linguagem das histórias em quadrinhos

E para encerrar, o jornalista e escritor potiguar Alex de Souza autografará o livro”Moacy Cirne: Paixão e Sedução pelos Quadrinhos”(110 páginas, R$ 25), o qual inspirado pela obra de Cirne, de quem era amigo eventual nos encontros informais em Natal, Alex optou por também construir seu texto no formato de ensaio, deixando transbordar a admiração e o respeito pela personalidade e pela densidade do trabalho do autor. Em complemento a sua análise, Alex apresenta uma longa e esclarecedora entrevista que realizara com Moacy, publicada na revista Brouhaha – Vozes na cultura potiguar, ano I, n. 1, em 2005, pela prefeitura de Natal. Na entrevista, além dos quadrinhos, o foco se dirige ao movimento de vanguarda das décadas de 1960/1970 chamado Poema/processo, do qual Moacy foi um dos protagonistas.

O livro apresenta também um caráter biográfico, abordando a vida e a obra de Moacy Cirne, com destaque para seu método ensaístico. Traça as origens dos quadrinhos e situa a obra de Cirne no contexto da crítica mundial, apresentado as HQ brasileiras e a crítica tupiniquim.

Colecionadores de outras cidades podem adquirir seus exemplares autografados pelo e-mail vendas@comichouse.com.br, porém com confirmação do pagamento até 15h da sexta-feira dia 20/03.

domingo, 8 de março de 2015

Pré-Venda Caravaggio, de Milo Manara

Quer adquirir a sua? Entre em contato!
Av. Nego, 255, Tambaú (João Pessoa-PB)
Telefone:(83) 3227 0656
E-mail:vendas@comichouse.com.br
Twitter: @Comic_House

sexta-feira, 6 de março de 2015

Fronteira Livre, Vários Autores - Release




João Pessoa receberá os artistas potiguares Brum, Milena Azevedo, José Verissimo e os paraibanos Ricardo Jaime e William Medeiros para uma sessão de autógrafos especial, no dia 07 de março, na Comic House, a partir das 18:30 horas.
Vivemos em um mundo cada dia mais conectado. É um mundo de distâncias diminuídas, de culturas integradas, e repleto das mais diversas formas de expressão. Pode ser um clichê, sabemos, mas trata-se de um mundo “sem fronteiras”.
Pensando na diversidade vinda da integração entre artistas dos mais variados estilos, e com bagagens culturais diversas, André Carvalho, Marcio Rampi, Milena Azevedo e Brum criaram a coletânea de quadrinhos Fronteira Livre, cuja proposta era a de que cada um de seus colaboradores topasse fazer novas parcerias.
Após uma campanha bem sucedida, através do financiamento coletivo, a Fronteira Livre se materializa como o quinto título do catálogo da MBP (Milena e Brum Produções), apresentando 22 histórias feitas por 27 artistas residentes em diversas cidades brasileiras, entre eles:
Brum, Milena Azevedo, Marcio Rampi, André Carvalho, Gilmar, Lielson Zeni, Liber Paz, Leonardo Melo, Antonio Éder, Lica de Souza, Flávio Luiz, AnaLu Medeiros, Melina França, Veríssimo, Ricardo Jaime, Samuel de Gois, Gian Danton, Alexandre Falcão, Ichirou, Camilo Solano, Juscelino Neco, Wanderline Freitas, Rusiano Paulino, Luiz Meira, Renato Rei, Rogério Basile e Nestablo Ramos.
A logo e o design da capa foram criados pela Camila Torrano. E para completar o primoroso elenco, cinco artistas foram convidados especialmente para ilustrar as aberturas de cada uma das cinco regiões: Otoniel Oliveira, João Lin, William Medeiros, Luciano Salles e José Aguiar.
O leitor da Fronteira Livre irá sentir a conexão de um Brasil de sotaques, gírias, padrões e estilos singulares, mas que, por amor à nona arte, se torna um só.
O lançamento oficial aconteceu em dezembro/2014, no stand da Comix Book Shop, durante a 1ª Comic Con Experience, em São Paulo, com a presença de boa parte dos artistas.
Em menos de dois meses após seu lançamento, a Fronteira Livre provou que veio mesmo para romper todas as fronteiras, pois foi selecionada como um dos 30 finalistas da categoria “BD Alternativa”, na 42ª edição do Festival de Angoulême, na França. Estiveram na disputa quadrinhos feitos na Franca, Bélgica, Itália, Alemanha, Áustria, Egito, EUA, Ucrânia, Croácia e em Taiwan, e também outro título brasileiro, a coletânea Máquina Zero. Com isso, a Fronteira Livre se tornou o primeiro projeto de quadrinhos brasileiro, financiado via Catarse, a concorrer no conceituado festival.
Ao longo desse ano, faremos lançamentos em outras cidades brasileiras, como: Natal, João Pessoa, Porto Alegre e Belo Horizonte.
Título: Fronteira Livre 
Autores: Vários
120 páginas em P&B 
Preço: R$ 25,00.

SERVIÇO

Sessão de Autógrafos em João Pessoa
Quando: dia 07 de março (sábado)
Horário: a partir das 18:30 horas
Onde: Comic House (Av. Nego, 255, Tambaú – fone: 3227-0656)

terça-feira, 3 de março de 2015

Sessão de Autógrafos com Brum, José Verissimo, Milena Azevedo, Ricardo Jaime & William Medeiros


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...