terça-feira, 26 de abril de 2011

[1] Dorothea, de Cuvie



Caça às Bruxas
Volume 1

A história se passa num período não identificado da Idade Média, provavelmente entre os séculos XV e XVI, em Nauders, uma vila da Germânia. Conta a história de uma "criança branca", pagã ou uma bruxa herege, como preferem os bons cristãos da época. Suas características são claramente albinas: pele alva, cabelos brancos, olhos vermelhos como o sangue. O que é tido como marca da boa sorte no vilarejo e pelas crenças anteriores ao catolicismo, agora é visto como a marca do demônio.


Dorothea é uma "criança branca" predestinada a grandes feitos. O principal deles é garantir a segurança de Nauders, bem como de outros iguais a ela. Ela foi criada e treinada para isso, como uma futura "sacerdotisa da espada", e torna-se uma guerreira melhor que muitos homens. Tanto que, quando a "Casa dos Brancos" em que vive é atacada por mercenários, que pretendem saquear o lugar sem culpa (por ser uma "casa de hereges"), Dorothea lida muito bem com a situação.

As ditas bruxas não parecem possuir poderes especiais. O único mencionado no mangá é uma possível habilidade de predizer o futuro, coisa da qual Dorothea não é capaz. No entanto, seu destino e sua vontade de ferro a empurram para fora de Nauders, para um mundo que a odeia e a teme, a fim de conquistar a segurança para sua vila e seu país. Ainda bem que a garota maneja uma espada melhor do que qualquer homem. Com isso, possuir poderes e magias não será necessário.


Dorothea é uma série composta por seis volumes e sua autora, conhecida pela produção de hentais, assina simplesmente como Cuvie. O mangá trata de uma história de guerra e mostra tanto os prejuízos causados  pelo preconceito em relação àqueles que são diferentes quanto coloca homens e mulheres em pé de igualdade. Afinal, temos uma Sybilla que parece entender muito bem os joguetes políticos e uma protagonista forte de corpo e de espírito, que lutará lado a lado com homens e mostra-se até melhor do que alguns deles.

Dorothea, de Cuvie
Caça às Bruxas (Parte 1)

Título original: Dorothea - Majyo no Tettsui - volume 1
Publicado pela Panini Comics/Planet Mangá em 2011
Brochura, 13 x 18 cm
178 páginas em preto e branco
R$ 9,90

Quer adquirir a sua? Entre em contato!
Telefone: (83) 3227.0656
Email: vendas@comichouse.com.br 
Twitter: @Comic_House  
Av. Nego, 200, Tambaú (João Pessoa-PB)  



Comic House quadrinhos que não estão no gibi

segunda-feira, 25 de abril de 2011

[1] Code Geass, de Majiko

A Rebelião de Lelouch
Volume 1

Estamos no ano 2010 do calendário imperial. O Sagrado Império da Britannia declarou guerra ao Japão e venceu dentro de poucos meses, deixando o país devastado e tomando sua identidade. Agora, o lugar é conhecido como Área Eleven (Onze, em inglês), e os japoneses também não carregam mais o adjetivo pátrio, sendo conhecidos apenas como Eleven. Eles perderam a liberdade, os direitos e até mesmo o reconhecimento como seres humanos, já que são tidos (e tratados) como uma raça inferior pelos Britannianos.
Lelouch é um Britanniano, estudante de uma escola mista, para Britannianos e Elevens, carrega sua linhagem em segredo: é filho do Imperador da Britannia, está na linha de sucessão ao trono. No entanto, ele e a irmã e a mãe serviram de peões para os nobres no passado, portanto Lelouch prefere manter sua identidade em sigilo.

O rapaz presencia um acidente com um avião militar e tenta ajudar, mas acaba colocando em risco tanto sua vida quanto a do amigo Suzaku. Ele consegue fugir dos militares por um certo tempo, mas a única coisa que impede sua morte é o poder que ganha, decorrente de um estranho pacto que faz com a garota que estava sendo transportada como carga no avião. Lelouch não tem idéia do que seja o poder ou de como usá-lo corretamente, muito menos de quem é a garota a quem deve a vida (e um favor), mas tem uma certeza do objetivo que dará ao novo poder: destruir o Império da Britannia. Com isso em mente, ele parte em busca de seus próprios peões, para dar início a sua revolução.
A história original de Code Geass é de Ichirou Ohkouchi e Goro Tanaguchi. Foi transformado em mangá pela mangaká Majiko e seus assistentes, Nagao e Ueda, e possui oito volumes. Posteriormente, foi feito também o anime da série. Há mais três adaptações de Code Geass, cada uma contanto uma história alternativa diferente.


Code Geass, de Majiko
A Rebelião de Lelouch (Parte 1)
Título original: Code Geass - Lelouch of the Rebellion volume 1
Publicado pela JBC em 2011
Brochura, 13,7 x 20,5 cm
205 páginas em preto e branco
R$ 10,90

Quer adquirir a sua? Entre em contato!
Telefone: (83) 3227.0656
Email: vendas@comichouse.com.br 
Twitter: @Comic_House  
Av. Nego, 200, Tambaú (João Pessoa-PB)  


Comic House quadrinhos que não estão no gibi

quinta-feira, 21 de abril de 2011

A Dália Azul, de Raymond Chandler e Filippo Scózzari

Muitos foram os artistas que trocaram farpas durante a composição de uma obra conjunta. Com o escritor americano e o desenhista italiano, não foi diferente. O roteiro original de A Dália Azul foi concebido às pressas, para o cinema. Chandler detestou tudo no final. O filme foi bem aclamado pela crítica, mas o roteirista, afundado na bebida, odiou cada passo da produção, desde a escolha dos atores, até a finalização. 35 anos depois, Scózzari tira a história do buraco do esquecimento no qual Chandler fez questão de colocá-la e relança-a como história em quadrinhos. Raymond Chandler ao lado de Dashiell Hammett é dos maiores escritores da literatura policial noir. Ele criou um dos personagens mais emblemáticos da literatura, o detetive particular Philip Marlowe, eternizado nas telas de cinema por Humphrey Bogart.



Não foi por conta própria ou por causa de Raymond Chandler, no entanto, que Filippo começa o projeto para a quadrinização de A Dália Azul. Foi por causa de Oreste Del Buono, uma figura importante para o mundo editorial italiano, que queria ver a obra na revista que estava financiando. Scózzari brigou com Chandler sozinho, em sua cabeça, é verdade. E brigou também nas páginas deste álbum.

Além de ter feito suas alterações na história, dando-lhe tons de sarcasmo, humor e ironia, que não estão presentes no original. Tal toque, claríssimo a cada início de capítulo, deixa o noir ainda mais instigante, dando maior tempero ao mistério da história. Trata-se do assassinato da mulher de um oficial da Marinha americana, Johnny, que chega da guerra e descobre que sua esposa não lhe tem sido fiel. Sai de casa após uma briga e, na manhã seguinte, torna-se um foragido, pois Helen foi morta por uma arma que carrega as iniciais do marido. Começa então a busca pelo assassino. As suspeitas pairam, inicialmente, sobre Johnny e recaem no amante de Helen, mas há muito mais investigações a serem feitas.


Scózzari dá um tom de metalinguagem à narrativa, ao reclamar com o autor do roteiro original no início dos capítulos e ao incluir alguns detalhes na história. Acabamos, portanto, acompanhando duas narrativas no lugar de uma: a história do assassinato e a da feitura dos quadrinhos. São estilos diferentes que se entrelaçam e dão um sabor especial à obra.

A Dália Azul, de Raymond Chandler e Filippo Scózzari
Título original: La Dalia Azzurra
Publicado pela Conrad em 2004
Brochura, 21 x 27 cm
104 páginas em preto e branco
R$ 32,00

Quer adquirir a sua? Entre em contato!
Telefone: (83) 3227.0656

Twitter: @Comic_House
Av. Nego, 200, Tambaú (João Pessoa-PB)

Comic House quadrinhos que não estão no gibi

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Criaturas da Noite, de Neil Gaiman e Michael Zulli

O álbum Criaturas da Noite apresenta duas histórias fantásticas - tanto pela qualidade quando pelo tipo de conteúdo que apresenta: a fantasia, a magia, o mistério e as surpresas. Ambas são adaptações de contos de Neil Gaiman publicados previamente no livro Fumaças e Espelho, que conta com 31 contos e poesias do autor. As imagens ficaram por conta de Michael Zulli. O pintor e desenhista trabalhou com Neil Gaiman anteriormente em Sandman e em Bruxaria com James Robinson (autor de Starman e da premiada A Era de Ouro).

Na primeira história de Criaturas da Noite, O Preço, encontramos uma casa no campo que abriga um escritor, sua família e diversos gatos. Dentre eles, um enigmático gato preto, que conquistou a admiração do escritor e da esposa. A mulher chega a dizer que o gato tem jeito de humano. No entanto, ele é encontrado ferido em diversas manhãs. Os donos não suspeitam do que teria causado danos tão sérios ao bichano, muito menos que a vida pacata no campo não é tão segura quanto aparenta. As cores de O Preço já são impressionantes e esse efeito se amplifica em A Filha das Corujas, segunda história do álbum.



A Filha das Corujas apresenta um formato mais poético do que a história anterior e narra um conto antigo, que, de início, lembra um conto de fadas - que são bonitos hoje, pós-Disney, mas já foram aterradores - ou uma história da inquisição. Uma recém-nascida é abandonada na porta de uma igreja. Vista como uma maldição, cresce isolada do mundo, até que a notícia de sua beleza descomunal se espalha pela cidade, atraindo a atenção dos homens. A curiosidade os levará a uma terrível jornada.



Criaturas da Noite, de Neil Gaiman e Michael Zulli

Título original: Creatures of the Night

Publicado pela Pixel Media/Dark Horse em 2006
Capa dura, 16,5 x 24 cm
128 páginas coloridas
R$ 24,90

Quer adquirir a sua? Entre em contato!
Telefone: (83) 3227.0656
Twitter: @Comic_House
Av. Nego, 200, Tambaú (João Pessoa-PB)

Comic House quadrinhos que não estão no gibi

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Alice Através do Espelho, de Lewis Carroll, adaptado por Kyle Baker

A editora HQ Maniacs está lançando no Brasil a coleção Classics Illustrated e, em seu primeiro volume, apresenta a adaptação de Alice Através do Espelho, realizada por Kyle Baker, autor do premiado e ainda inédito no Brasil Homem Borracha. Ele também é responsável pela minissérie O Sombra, publicada em formatinho pela editora Abril.
A história, muitos já conhecem: a garota do vestido azul, de exatamente sete anos e meio, ralha com os filhotes de sua gata, Dinah, e fala a eles sobre a Casa do Espelho. Numa tentativa de ver o que há além do corredor refletido no grande espelho sobre o aparador da lareira, ela acaba atravessando o vidro como se fosse fumaça e encontrando coisas inacreditáveis do outro lado. Inacreditáveis por pura falta de prática da protagonista, de acordo com a Rainha Branca, que diz ser capaz de acreditar em seis coisas impossíveis antes do café da manhã.

A Alice de Baker não foge ao tradicional: loirinha, vestidinho azul rodado com avental branco, como na imagem imortalizada pela Disney. A garota é inteligente, ousada e espevitada, com intencionou Carroll. O diferencial nesta história é que os quadrinhos são exclusivos para as imagens. Os textos ficam de fora, logo abaixo ou ao lado do quadro condizente. De cara, pode parecer confuso, já que a narrativa contém diálogos. No entanto captamos o estilo logo nos primeiros momentos e diferenciar as falas dos personagens se mostra algo simples.

A série Classics Illustrated contará com 30 volumes, muitos inéditos no Brasil, e três deles serão lançados apenas aqui.

Alice Através do Espelho, de Lewis Carroll, adaptado por Kyle Baker
Classics Illustrated Volume 1
Título original: Through the looking-glass
Publicado pela HQ Maniacs em 2010
Capa dura, 21 x 28 cm
52 páginas coloridas
R$ 39,90

Quer adquirir a sua? Entre em contato!
Telefone: (83) 3227.0656

Twitter: @Comic_House
Av. Nego, 200, Tambaú (João Pessoa-PB)

Comic House quadrinhos que não estão no gibi

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...